Blog da Ceci

Discussões sobre tendências, carreira e trabalho em Comunicação, para pensar e discutir

”Troca um dos modelos por um negro”

ago 2018 | Comunicação, Publicidade, Tendência

O Meio & Mensagem publicou, em 13 de agosto, matéria mostrando a sexta edição da pesquisa Todxs – Uma Análise da Representatividade na Publicidade Brasileira, elaborado pela Heads, que constatou que cabelos ondulados já são maioria nas peças publicitárias (53%). “Os cabelos lisos, que por muito tempo foram predominantes na propaganda televisiva, apareceram em apenas 26% dos personagens de comerciais. Os cabelos cacheados tiveram 10% de participação enquanto os crespos, 2%”, diz a reportagem. O resultado é fruto de análise feita em 1.822 inserções televisivas analisadas durante uma semana de fevereiro para avaliar a diversidade de gêneros, etnias e linguagem.

Apesar de positivos, os resultados mostram o quanto ainda estamos longe da realidade. 55% da população brasileira se declaram preta ou parda, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 55%. E essas pessoas não nasceram com cabelos só ondulados, e sim com muitos cachos e crespos, representados em 10% e 2% das peças, respectivamente. Se olharmos para a participação dos negros na publicidade, o lugar ainda é o da invisibilidade: 16% dAs e 11% dOs protagonistas de comerciais. E esses números são reflexo de um aumento de 57% em relação à pesquisa anterior, feita seis meses antes. Sem dúvida, é um andar para frente, mas como reação à cobrança da sociedade por mais realidade no relacionamento com as marcas.

Nós, brancos, maioria nas agências, nos clientes, nas equipes, nos cargos de liderança, nas universidades, no mercado formal de trabalho (…) estamos fazendo realmente tudo o que é possível para zerar este, dentre tantos zilhões de itens que compõem essa desigualdade jabuticabesca? E por tudo o que é possível eu não me refiro somente a resultado de campanha… Enquanto alguém tiver que se lembrar de trocar modelo branco por negro para ter diversidade, tá longe de estar bom.

Leia a matéria do Meio & Mensagem aqui.

Por Cecília Seabra

Por Cecília Seabra

Jornalista, consultora, mentora, pesquisadora, docente e apaixonada pela Comunicação. Mãe de gente e mãe de bicho. Atuo há 21 anos na área, com experiência que é resultado de passagem por todos os cargos e funções em agência, gerenciamento de crises, além de coordenação e gestão de comunicação e sustentabilidade em marcas líderes nos seus segmentos.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *