Blog da Ceci

Discussões sobre tendências, carreira e trabalho em Comunicação, para pensar e discutir

Múltiplas personalidades ou uma personalidade resultante de múltiplos fragmentos

jan 2020 | Comunicação, Conteúdo, Divirta-se, Educação, Pesquisa, Trabalho

Há 23 anos escrevo profissionalmente. Tenho artigos escritos por mim e assinados por outros publicados em todos os grandes jornais do Brasil, nacionais e regionais — sim, jornalistas que trabalham em assessoria de imprensa fazem isso, para horror dos pesquisadores, grupo do qual hoje também faço parte. Nunca tive dificuldade de assumir outra personalidade na escrita. Assim, nasceram textos sobre serviços, economia, previdência, construção civil, infraestrutura, sustentabilidade, logística, meio ambiente, saúde, educação, política pública, cultura, moda, branding e tome etcétera!

Em 2011, quando redirecionei minha carreira para gestão de comunicação, assumi na escrita a personalidade e o tom de voz das marcas para as quais trabalhava. De fato, tinha coisa minha ali, visto que os propósitos institucionais tinham conexão com o meu próprio, afinal, o divirta-se, trabalhe, divirta-se vem consolidado dessa época e da decisão de voltar algumas casas no mundo do trabalho para fazer algo que me desse mais prazer e menos mimimi do que vinha obtendo até ali.

Sete anos se passaram, e, novamente, bateu a metamorfose ambulante e aquele deu que faz a gente se mexer na vida. Decidi, então, redirecionar de novo minha carreira para algo que me permitisse fazer direito tudo o que colecionei de divirta-se até aqui. Assim, corroborando com todas as tendências de fragmentação, financeirização e (neo)liberalização da vida eis que atuo há um ano em consultoria, pesquisa e docência. Daí o título desse post, para que escolham a definição mais simpática à sua visão de mundo 😉

Nesse período, portanto, venho construindo a personalidade da Cecília Seabra, autora (tenho textos variados que minha mãe, crítica literária, diz que tenho que publicar, mas não concordo e por isso vivem guardados). Minha maior dificuldade foi escrever academicamente, desenvolvendo raciocínios, argumentando a partir de autores, quando na vida de jornalista somos cobrados pela objetividade. Gostei. Mas como, em tese, não existe almoço grátis, nesse processo comecei a não mais conseguir assumir a voz de outras pessoas na escrita, afinal, agora eu assino o que escrevo e os textos que desenvolvo são e serão autorais. Concorde ou discorde, parafraseio um amigo de mestrado, que tem três palavras para essas situações: 1) faz 2) um 3) artigo (sim, ele é irônico e eu amo!).

Tudo isso para dizer que 2019 terminou com meu primeiro artigo acadêmico publicado em parceria com um colega da Veiga, Cleber Karls, coordenador da História EAD, maravilhoso, daqueles professores pesquisadores que fazem a gente amar estar no mesmo barco, e também se revoltar com o descaso desse país com a educação e por isso ter mais ganas de seguir nesse caminho para fazer o que nos cabe no nosso universo particular… enfim, voltando ao foco, o Cleber é uma coisa linda. Generosíssimo, me escolheu como orientadora da pós em Mídias e Tecnologias em Educação, uma das quais leciono na UVA, e quis escrever um artigo. Como a pesquisa dele é em história comparada, escolheu como objeto comunicação e inovação (nome da disciplina que estou à frente nesse curso) nas duas Copas do Mundo realizadas no Brasil (história comparada, do esporte, praia dele). Táqui o resultado.

E partiu 2020!

Por Cecília Seabra

Por Cecília Seabra

Jornalista, consultora, mentora, pesquisadora, docente e apaixonada pela Comunicação. Mãe de gente e mãe de bicho. Atuo há 21 anos na área, com experiência que é resultado de passagem por todos os cargos e funções em agência, gerenciamento de crises, além de coordenação e gestão de comunicação e sustentabilidade em marcas líderes nos seus segmentos.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *