Blog da Ceci

Discussões sobre tendências, carreira e trabalho em Comunicação, para pensar e discutir

Jornalismo independente: adaptação e oportunidades

set 2018 | Comunicação, Inovação, Jornalismo, Mídias, Tendência

Estou cada dia mais fã do jornalismo idependente e tenho falado muito sobre isso em aulas e workshops sobre assessoria de imprensa e relacionamento com a mídia. Da mesma forma que as redações estão se adaptando, a turma da comunicação precisa abrir os olhos e participar desse movimento, adaptar-se a ele, apoiar sim e descobrir um mundo de conteúdos super relevantes que não chega à mídia tradicional e que é um oceano de oportunidades para as marcas.

O @faroljornalismo​ tem como proposta que os apoiadores participarem da discussão sobre a pauta das edições na redação virtual, que rola no Slack, numa outra forma de sugerir matérias e trocar ideias sobre conteúdos relevantes para as pessoas. O artigo de Emily Gologoski, do the Membership Puzzle Project, publicado no The Guardian que eu topei nas andanças pela rede e compartilhei na minha página do Facebook na última quarta, 12, foi tema de conversas por lá e pintou na NFJ#201. O projeto estuda formas de financiamento sustentável para o jornalismo (parênteses para tese da Júlia Galvão de Almeida, defendida em março, na UFBA, sobre como funciona a produção de notícias financiadas por aqui divulgada no Nexo Acadêmico, espaço em mais um veículo do jornalismo independente, o Nexo). Voltando à newsletter do Farol, convido vocês a darem uma olhada, verem como as discussões levantadas pelo Moreno e pela Lívia são relevantes para o jornalismo e, por que não?, passem também a apoiar 😉

A @agenciapublica tem o Mapa do Jornalismo Independente. Parada obrigatória para quem quer ficar por dentro e se informar com qualidade. E você, de que forma o conteúdo produzido pelos veículos do jornalismo independente fazem parte do seu dia a dia?

Por Cecília Seabra

Por Cecília Seabra

Jornalista, consultora, mentora, pesquisadora, docente e apaixonada pela Comunicação. Mãe de gente e mãe de bicho. Atuo há 21 anos na área, com experiência que é resultado de passagem por todos os cargos e funções em agência, gerenciamento de crises, além de coordenação e gestão de comunicação e sustentabilidade em marcas líderes nos seus segmentos.

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *